sexta-feira, 13 de agosto de 2010

PÁRA TUDO.

Recebi uma enormidade de sinais e mensagens claras na minha mente. Um monólogo interior cheio de sabedoria e simplicidade. Recebi uma enormidade de mensagens do exterior, graças às quais cheguei ao momento de ouvir o monólogo interior.

Pára tudo. Observa. Sente. Abdica, para receber o novo. Percepções para o novo. Habilitações para o novo.

Modificações feitas custam a desapegar. Estou, de mim para comigo mesmo. Parou tudo. Luto contra a imobilidade. Luto contra o contra. Respiro. Não reprimo: sinto. Dói. Choro. Respiro.

Em loop.

Mais logo vou ao cinema. Para descansar...

1 comentário:

  1. Gostei do que li. :)))

    Pára tudo! para que sejas tu mesmo.

    Abraço.

    ResponderEliminar